Dicas de Beleza
Drenagem Linfática

O corpo humano é composto abundantemente por líquidos, cerca de 40 litros ( 57% do peso total) em um indivíduo médio.Deste total aproximadamente 25 litros estão no meio intracelular, 12 litros no meio intersticial e no plasma sangüíneo a quantidade é em torno de 3 litros.


O líquido intersticial banha as células dos tecidos, inclui também os líquidos especiais como os contidos nos espaços líquidos potenciais: cefalorraquidiano, nas câmaras do olhos, no espaço pleural (entre os pulmões e a parede do tórax), no espaço peritoneal (entre vísceras e a parede abdominal), no espaço pericárdio (entre o coração, e o pericárdio), nas cavidades articulares e linfa. A função do líquido presente entre as superfícies das regiões supra citadas servem para que os mesmo não fiquem colapsados podendo as mesmas deslizar umas sobre as outras. A dinâmica das trocas líquidas entre os espaços potencias e os capilares nos tecidos que circundam é quase idêntica à dinâmica das trocas líquidas nas membranas dos capilares, que será vista a seguir.


O sangue é composto por plasma que é líquido intersticial com maior concentração de proteínas e células sangüíneas. As células que são os glóbulos vermelhos (hemácias ou eritrócitos), glóbulos brancos (leucócitos) e plaquetas. As hemáceas são células anucleadas, com forma de discos e tem a característica de possuírem a hemoglobina, pigmento responsável pelo transporte de oxigênio e, o retorno do gás carbônico que deve ser eliminado. Os leucócitos são células brancas, tem a função de defesa do organismo. As plaquetas são fragmentos de células grandes da medula óssea e desempenham importante função no mecanismo da coagulações do sangue. O diâmetro do capilar sangüíneo é apenas o suficiente para que o plasma e células sangüíneas passem espremidos. Existem duas diminutas passagens conectando o interior e o exterior do capilar. Um deles é a fenda intercelular que por meio de seus poros-em-fenda permitem a passagem da maior parte dos íons e moléculas hidrossolúveis nos dois sentidos. O outro são as vesículas pinocíticas, que transportam grandes moléculas e partículas sólidas através da membrana capilar.


Através dos poros da membrana capilar o líquido extracelular apresenta-se em constante difusão do meio intersticial para o plasma sangüíneo e vice-versa. As forças de influxo e efluxo são iguais, mantendo o volume do líquido constante nos dois meios, fenômeno denominado de Lei dos Capilares. A pressão no interior do capilar é maior que no exterior, 23mmHg a mais, contudo há uma pressão gerada pelas proteínas do meio contidas nestes capilares que equilibram as forças entre os dois meios. Quando soluções de concentrações diferentes são separadas por uma membrana semi-permeável a tendência é que a água parta da solução menos concentrada para a mais concentrada. Entretanto se é aplicada pressão à solução mais concentrada esta poderá cessar o movimento osmótico, chamada pressão osmótica, que se dá quando as partículas dissolvidas forem maiores que os poros dos capilares sangüíneos. As proteínas são os únicos solutos do plasma e líquido intersticial que produzem efeitos osmóticos na membrana capilar, essa pressão osmótica das proteínas é chamada de pressão coloidosmótica. Se não fosse pela pressão coloidosmótica que opõem a essa tendência que o líquido saia do capilares, haveria perda contínua de líquido da circulação, diminuindo o volume sangüíneo.


Em casos de anomalias, se a pressão capilar aumentar muito ou se a pressão coloidosmótica plasmática ficar muito diminuída ocorrerá edema (inchaço).


Os rins tem função essencial neste processo de controle hídrico do organismo. Sendo as principais funções dos rins: a remoção dos produtos finais do metabolismo e controle das concentrações da maior parte das substância iônicas no líquido extracelular, inclusive íons como sódio, potássio e hidrogênio. A teoria da função renal é a de filtrar grandes quantidades de líquido do plasma, reabsorver aqueles constituintes que são necessários, e encaminhar para ser eliminados pela urina o que não for aproveitável pelo organismo. Atua também na regulação dos íons sódio e potássio, na regulação do equilíbrio ácido-básico e regulação do volume sangüíneo.

Hipoderme

Sua estrutura é dividida em compartimentos e por seu tecido adiposo, a hipoderme dipõem de meios para assegurar um papel de amortecedor dos traumatismos, que completa aquele da derme. A hipoderme também auxilia na proteção contra o frio por sua espessura e estrutura.

Sistema Linfático.

Paralelo ao sistema sangüíneo, existe o sistema linfático. Que auxilia o organismo a drenar o líquido intersticial e remover resíduos celulares, proteínas, de maior tamanho que o sistema sangüíneo não consegue coletar pela razão dos poros da membrana capilar do sistema venoso serem menos calibrosos.


O sistema linfático é constituído por capilares, pré-coletores, coletores, canal ou ducto torácico esquerdo e canal ou ducto linfático direito, linfonodos, válvulas linfáticas e linfa.


Capilares linfáticos: Iniciam no espaço intersticial. É uma rede muito fina e corresponde a primeira estrutura do sistema linfático. Possui paredes muito permeáveis, o que permite a entrada de macromoléculas de proteínas e minerais que não seriam absorvidos pelo sistema venoso.

Pré- Coletores: Intermediam capilares e coletores. Suas paredes são formadas por tecido endotelial, estando o seu endotélio interno, coberto de tecido conjuntivo e fibras elásticas e musculares.

Possuem válvulas na membrana interna, por isso o fluxo da linfa é unidirecional.


Coletores: Continuação dos pré-coletores, com maior calibre, também possuem válvulas e conduzem a linfa no sentido centrípeto. A parede dos coletores é formada por fibras musculares lisas.

Chegando nos linfonodos a linfa é transportada por ductos eferentes até dois grandes coletores principais, o canal ou ducto torácico esquerdo e canal ou ducto linfático direito.


Canal Linfático Direito: termina no tronco das veias jugular interna direita e subclávia direita, na altura das clavículas. Recebe linfa do lado direito: da cabeça, do pescoço, do tórax e do membro superior direito.

Canal Torácico Esquerdo: É bem maior que o ducto linfático direito. Sua origem é marcada por uma dilatação a cisterna do quilo ou de Pecquet onde sua extremidade superior continua como ducto torácico propriamente dito. Termina no tronco das veias jugular interna esquerda e subclávia esquerda.

Trata-se de um tronco coletor de todos os vasos linfáticos do corpo, com exceção do membro superior direito, e da metade direita da cabeça, do pescoço e do tórax .

A junção das veias jugulares esquerda e direita terminam na veia braquiocefálica esquerda que desemboca cava superior.


Linfonodos :Estão dispostos em trajetos nos vasos linfáticos, normalmente em grupos ou em séries.

Os principais gânglios estão nas axilas, região inguinal e no pescoço.


Os vasos aferentes entram nos linfonodos na sua superfície e os vasos eferente saem por reentrâncias pequenas, denominadas Hilo.


Em sua maioria possui cor acinzentada.


Os linfonodos possuem a função de produzir linfócitos e filtrar a linfa ( conglomerado de tecido linfóide, memória imunológica). São depuradores capazes de absorver, metabolizar e destruir alguns elementos provenientes da circulação linfática.


Têm como mediadores os linfócitos macrófagos que evitam a formação de linfandenites ( inflamação aguda dos linfonodos) e linfangites (inflamação aguda dos canais linfáticos) decorrentes de infecções por vírus e bactérias.


Linfa: É o líquido proveniente do espaço intersticial que ao penetrar nos vasos linfáticos recebe o nome de linfa.

A linfa é transportada dos capilares linfáticos, para os canais pré-coletores, coletores e coletores principais da onde irá desembocar nas veias subclávia e jugular onde se misturarão com o sangue novamente. Devolvendo desta maneira as proteínas plasmáticas do líquido intersticial de volta ao sangue.

Funções do Sistema Linfático.

A função mais importante do sistema linfático é a devolução das proteínas a circulação, quando vazam dos capilares sangüíneos. Alguns dos poros dos capilares são tão grandes que permitem o vazamento contínuo de pequenas quantidades de proteínas, chegando a atingir a cada dia cerca de metade do total de proteínas da circulação. Caso não fosse devolvida a circulação, a pressão coloidosmótica do plasma da pessoa teria valor extremamente baixo, o que faria com que perdesse grande parte de seu volume para os espaços intersticiais, levando à morte dentro de 12 a 24 horas.

Circulação Linfática.

As válvulas encontradas dentro dos vasos linfáticos têm orientação centrípeta, de modo que a linfa só pode seguir neste sentido.

Os vasos linfáticos se contraem periodicamente, a cada 6 a 10 segundos. Quando um vaso é distendido por excesso de linfa ele automaticamente contrai, essa contração empurra a linfa para adiante da válvula linfática seguinte. Além da contração intrínseca dos vasos linfáticos, o bombeamento da linfa também pode ser provocado pelo movimento dos tecidos que cercam o vaso linfático. Por exemplo, a contração dos músculos esqueléticos adjacentes a um vaso linfático pode comprimir esse vaso e empurrar a linfa para frente.

Intensidade do Fluxo da Linfa.

Em função do tempo, o fluxo de linfa varia dentro de extremos muito amplos de intensidade mas, na pessoa média, o fluxo total de linfa por todos os vasos, é da ordem de 100ml por hora, ou cerca de 1 a 2 ml por minuto. Este é uma intensidade muito pequena de fluxo muito embora ainda suficiente para remover o excesso de líquido e especialmente , o excesso de proteína que tende a acumular nos espaços teciduais.

Patologias do Sistema Circulatório / Linfedema ou Edema Linfático.

É o acúmulo anormal de líquidos nos espaços intersticiais, ou seja, uma infiltração de líquidos nos tecidos celulares subcutâneos, produzido por uma insuficiência do sistema linfático. Juntamente com este excesso de líquido intersticial, há uma aglomeração anormal de proteínas e um aumento do número de leucócitos. Denomina-se esse conjunto de exsudato inflamatório.

Celulite ou Hidrolipodistrofiaginóide ou Fibroedemagelóide.

A celulite se localiza na camada mais superficial do tecido adiposo. Primeiramente ocorre uma infiltração edematosa do tecido adiposo, cuja conseqüência é um aumento no seu volume, caracterizando uma hipertrofia tecidual. Segue-se a polimerização de substância fundamental amorfa que, ao infiltrar nas tramas do tecido conjuntivo de sustentação, provoca uma reação fibrótica consecutiva. Esse conjunto gera uma compressão dos vasos sangüíneos e linfáticos, dificultando as trocas de oxigênio e nutrientes dos capilares artérias para o tecido adiposo e a eliminação de líquidos, minerais, restos metabólicos e proteínas do interstício para os capilares linfáticos e venosos. Isto provoca também, em um estágio mais avançado, a compressão de filetes nervoso, o que explica a dor na região afetada. Em resumo, a celulite aparecem vários nódulos edematosos subcutâneos, compostos de água, toxinas e gordura e um tecido conjuntivo fibroso que se espessou, se proliferou e perdeu sua elasticidade, ocasionando a região um aspecto granuloso, “tipo casca de laranja”.

Efeitos da Drenagem Linfática Manual.
- Aumento da capacidade de admissão dos capilares linfáticos;

- Aumento da velocidade da linfa transportada;

- Aumento da quantidade de linfa filtrada processada pelos gânglios linfáticos;

- Aumento da oxigenação e desintoxicação da musculatura esquelética;

- Aumento do peristaltismo intestinal;

- Aumento da diurese;

- Otimização das imunoreações celulares;

- Diminuição das aderências e retrações cicatriciais;

- Maior eficiência celular;

- Maior eficiência da nutrição dos tecidos.
Indicações da Drenagem Linfática Corporal.
- Circulação de retorno comprometida;

- Tecido edemaciado;

- Varizes;

- Varicoses;

- Cicatrização;

- Menopausa;

- Cansaço nas pernas;

- Sistema nervoso abalado;

- Gestação;

- Celulite;

- Pré e pós cirúrgia plástica;

- Linfedema

- Cansaço nas pernas

- Dores musculares

- Relaxamento

- Pós- Mesoterapia

- Hematomas

- Olheiras

- Rejuvenescimento

Indicações da Drenagem Linfática Manual - Facial.
- Tratamento de rejuvenescimento;

- Acne;

- Fragilidade Capilar;

- Edemas palpebrais;

- Pré e pós cirurgia plástica;

Contra-Indicações Parciais:

- Insuficiência cardíaca controlada;


- Insuficiência renal crônica;


- Hipertensão


- Reação inflamatória crônica;

Contra-Indicações Totais.
- Câncer ;

- Tromboflebite;

- Trombose;

- Septicemia;

- Hipertiroidismo;

- Reação inflamatória aguda;

- Insuficiência cardíaca não controlada;

- Processos viróticos;

- Febre;

- Gestação de alto risco;

Voltar